Redes Sociais para Advogados Guia Completo

Saiba quais são as melhores redes sociais para advogados e como você, advogado, deve fazer publicidade nelas para atrair mais clientes.

O que escritórios de advocacia têm a ganhar usando as redes sociais?

As redes sociais são importantes para a sua estratégia de marketing jurídico por duas principais razões:

  1. São uma alternativa simples e barata para se aproximar de um grupo determinado de pessoas;
  2. Ajudam a cumprir a missão nº 1 do marketing, que é colocar quem tem um produto ou serviço na frente de quem precisa dele.

E o que advogados e escritórios de advocacia podem ganhar com isso, já que, de acordo com as regras da OAB, não podem fazer publicidade ou propaganda com objetivo comerciais? Note que definimos a missão nº 1 do marketing como colocar prestadores de serviços e potenciais clientes “frente a frente” e não oferecer ou vender serviços.

Como definir a rede social ideal para seu escritório de advocacia?

É frequente encontrar escritórios de advocacia e advogados que investem tempo e dinheiro em redes sociais sem nenhuma preocupação com objetivos ou em medir resultados das suas ações de marketing jurídico. Muitos nem percebem que estão falando sozinhos.

Uma forma útil de olhar para um perfil em uma rede social é compará-lo a uma estação de TV.

É preciso ter uma audiência que justifique investimentos. E, para conquistar essa audiência, é preciso ter uma programação interessante que atraia as pessoas certas.

Continuando com a comparação, há estações de alcance global, com canais segmentados para diversos tipos de público, e pequenas redes locais, dirigidas a audiências bastante específicas.

O marketing jurídico e a publicidade podem contribuir de duas formas para o negócio de advogados e escritórios de advocacia: torná-los mais conhecidos ou melhor conhecidos. Dentro dos limites estabelecidos pela OAB, as redes sociais podem cumprir muito bem esse papel, o que as torna especialmente úteis para advogados e escritórios de advocacia.

Segmentação nas redes sociais

Para um grande escritório, pode ser útil segmentar suas redes sociais, empregando o LinkedIn, para recrutar estagiários, o YouTube, para promover treinamentos, e o Instagram, para divulgar alguma ação social, por exemplo. Para um advogado que trabalha sozinho, um grupo no WhatsApp pode funcionar muito bem como um canal segmentado e dirigido a um grupo específico para o qual presta serviços.

Como a publicidade nas redes sociais pode ajudar escritórios de advocacia a ampliar seus negócios?

As ações de marketing jurídico, comunicação digital e propaganda não vão gerar clientes diretamente para o seu escritório de advocacia. Ao divulgar conteúdo informativo sobre seu escritório nas redes sociais, o intuito é iniciar um relacionamento com potenciais parceiros e clientes que, de maneira geral, passa pelas seguintes etapas:

  1. Um potencial cliente é impactado por um conteúdo de interesse que você publicou, então ele passa a saber que você existe e que fala de assuntos relevantes para ele.
  2. Ele vai ao seu site, clica em algum artigo publicado no seu blog ou visita a sua página no Facebook e passa a saber quem você é e que serviços presta.
  3. Decide então seguir seu perfil em alguma rede social e passa a receber informações periódicas sobre seu escritório e advogados.
  4. Interessa-se o suficiente para realizar alguma ação como se inscrever na sua newsletter, deixar comentários em seus posts ou fazer download de um e-book produzido por você.
  5. Caso seu conteúdo seja realmente útil, ele pode decidir te mandar um email ou telefonar.
  6. Só então chegamos a uma fase propriamente comercial, que depende do advogado para continuar o contato e assegurar um novo cliente.

Advogados podem fazer propaganda na internet?

Em razão da velocidade da evolução das ferramentas de marketing, publicidade e propaganda online, os entendimentos atuais podem gerar interpretações imprecisas quando aplicados a casos específicos. Uma das principais questões é que pode ser difícil determinar exatamente o público para o qual anúncios online são exibidos, já que a segmentação oferecida em links patrocinados do Google e nas plataformas de publicidade das redes sociais depende de informações que podem ser imprecisas.

A recomendação para o uso de links patrocinados, impulsionamento de posts e outras formas de publicidade paga e propaganda, nas redes sociais analisadas neste guia, é que sejam feitos de forma ponderada, e as ações sejam analisadas caso a caso. Sempre respeitando as orientações de divulgar conteúdos informativos e não comerciais para públicos específicos.

O que advogados podem publicar nas redes sociais?

Escritórios de advocacia e advogados podem publicar conteúdos “informativos, educacionais e instrutivos”, bem como divulgar “patrocínio de eventos ou publicações de caráter científico ou cultural”. A seguir alguns exemplos úteis de postagens:

  • Artigos, comentários e opiniões a respeito de temas de interesse relacionados às atividades do escritório;
  • Boletins informativos e newsletters;
  • Entrevistas concedidas e notícias publicadas pela mídia em que advogados do escritório foram consultados;
  • Reconhecimento do escritório e de seus advogados, clientes ou parceiros em prêmios e rankings;
  • Ofertas de emprego, estágio e outros conteúdos relacionados a processos de seleção;
  • Celebração de datas importantes referentes à história do próprio escritório ou outras datas comemorativas;
  • Realização ou participação em palestras, cursos, seminários e outros eventos;
  • Ações patrocinadas pelo escritório ou seus advogados.

Em razão da velocidade da evolução das ferramentas de marketing, publicidade e propaganda online, os entendimentos atuais podem gerar interpretações imprecisas quando aplicados a casos específicos.

Cinco questões que todo advogado deve responder antes de entrar nas redes sociais

  1. O que queremos falar?
    Por exemplo: anunciar vagas, falar de projetos de lei ou oferecer informações jurídicas.
  2. Para que queremos falar?
    Por exemplo: para recrutar colaboradores, para divulgar a marca do escritório ou para contribuir com a comunidade.
  3. Com quem queremos falar?
    Por exemplo: clientes atuais, prospects, estudantes de Direito ou membros da nossa própria equipe.
  4. Como queremos falar?
    Por exemplo: com vídeos no YouTube, posts no Facebook ou iniciando discussões em grupos pertinentes do LinkedIn.
  5. Como vamos saber se está dando certo?
    Por exemplo: medindo o alcance de posts em redes sociais, perguntando aos novos clientes como eles conheceram o seu escritório ou avaliando a audiência do nosso site.

Facebook: a “Globo” das redes sociais

É a maior rede social do mundo, é também a mais polêmica e a que exige mais cuidado e planejamento por parte dos escritórios de advocacia e advogados. Aqui é relativamente fácil conseguir fãs e cliques, mas tal facilidade vem acompanhada de um preço: a perda de foco. Nos níveis exigidos por advogados, é muito difícil segmentar a audiência e falar com as pessoas certas.

O Facebook pode ser útil para falar com públicos mais amplos, já que permite alcançar um grande número de pessoas com relativa facilidade. Divulgar o seu programa de estágio para milhares de estudantes de Direito, por exemplo, é uma ação que poderá gerar resultados no Facebook.

O Facebook é útil para falar com públicos amplos já que permite alcançar um grande número de pessoas com relativa facilidade.

Prós e contras do Facebook para escritórios de advocacia e advogados

Por que um advogado deve usar o Facebook

  • É a rede social com maior número de usuários no Brasil, cerca de 130 milhões.
  • É relativamente fácil construir uma audiência e fazê-la crescer.
  • É muito útil para falar com públicos amplos como estudantes de Direito.
  • Pode ser usado como um gerador de tráfego para o seu site.

Quando um advogado deve ficar de fora do Facebook

  • Não tenho equipe ou disponibilidade para responder comentários e mensagens.
  • Estou preocupado com a possibilidade de minha marca ser afetada negativamente por estar no Facebook.
  • Expor-se no Facebook abre caminho para receber críticas e cobranças.
  • Não tenho clareza em relação ao público que quero atingir no Facebook, nem se ele está lá.

Dicas para advogados no Facebook

O Facebook tem dois principais formatos para divulgar informação: perfis pessoais e fanpages, que são páginas pensadas para empresas, marcas, produtos e personalidades. Mesmo que o seu objetivo seja criar uma página para uma pessoa (o principal sócio do seu escritório de advocacia, por exemplo), é recomendado o uso de uma fanpage, que conta com mais recursos e não possui limite de fãs. Preocupações que você precisa ter para garantir uma presença adequada e focada no Facebook:

  1. Use o “Gerenciador de negócios” do Facebook
    O Facebook possui uma plataforma específica para gerenciamento de páginas e outros ativos, como contas de anúncio, chamada “Gerenciador de negócios”. Esse serviço permite gerenciar várias páginas e dá acesso a suporte e métricas.
  2. Organize um calendário e programe suas postagens
    A maneira mais simples de garantir que a sua página terá uma frequência adequada de postagens é se planejar e elaborar com antecedência o conteúdo que pretende divulgar.
  3. Incentive os advogados a participarem
    Com 130 milhões de pessoas online, provavelmente, membros de sua equipe possuem perfis no Facebook. O público interno de advogados e outros membros da equipe é fundamental para alavancar a sua presença em redes sociais, principalmente no início.
  4. Faça testes e encontre a frequência ideal de postagem
    Para definir a sua frequência de atualização no Facebook, é importante verificar o que está dando mais resultados e adequar a sua estratégia com o tempo.
  5. Transmita a sua mensagem de forma objetiva
    O Facebook não é lugar para escrever conteúdos longos. Pouca gente tem paciência e interesse por postagens muito longas. Algumas pesquisas sugerem que os posts de cinco a sete linhas sejam os mais eficientes.
  6. Torne a sua fanpage uma fonte completa de informações sobre seu escritório
    É importante que sua página no Facebook conte com todos os dados essenciais sobre seu escritório de advocacia como email e telefone de contato, links para o seu site e outras redes sociais.
  7. Use recursos visuais
    Posts sem imagens diminuem bastante a chance de o seu conteúdo ser notado. O tipo de post que mais gera engajamento no Facebook são vídeos. Se você não tem a intenção de investir em conteúdo em vídeo, faça uso de fotografias, imagens, infográficos e outros recursos para acompanhar os seus textos.

Atenção à reputação do seu escritório de advocacia no Facebook

Mesmo que você decida que o Facebook não é a rede ideal para o seu escritório de advocacia, é importante pesquisar e descobrir se existe algum perfil ou página que faça referência à seu escritório, pois qualquer pessoa pode criar uma página no Facebook.

Twitter: a rede da interação

O Twitter não divulga dados oficiais sobre a sua audiência no Brasil, mas estima-se que ela tenha entre 25 e 30 milhões de usuários. Apesar de menor, o Twitter costuma ser frequentado por pessoas mais influentes, como jornalistas e blogueiros.

É uma ferramenta poderosa para falar de eventos em tempo real e privilegia o contato direto com a audiência. Outra característica positiva do Twitter é a possibilidade de atuar também como um curador de conteúdo no perfil do seu escritório de advocacia.

Por outro lado, para estabelecer uma estratégia de sucesso no Twitter, é necessário mais atenção e jogo de cintura, já que o ideal é estar atento a comentários e menções para dar respostas rápidas.

Prós e contras do Twitter para escritórios de advocacia e advogados

Razões para um advogado usar o Twitter

  • Público mais qualificado e influente do que no Facebook.
  • Promove mais interação e possibilidade de construir relacionamentos com o público.
  • Usuários mais engajados e interessados.
  • Útil para falar com públicos em outros países, principalmente EUA, onde está a maior audiência do Twitter.
  • Pode ser usado como um gerador de tráfego para o seu site.

Por que um advogado não deve usar o Twitter?

  • Não tenho equipe ou disponibilidade para responder mensagens e interagir.
  • Não tenho conteúdo para realizar múltiplas postagens por dia.
  • Quem administra o perfil precisa de agilidade para responder rápido em nome do escritório.
  • Não tenho clareza em relação ao público que quero atingir no Twitter nem se ele está lá.

Dicas para advogados no Twitter

Mais do que o Facebook, que permite a criação de uma página que pode atuar quase como um website para o seu escritório de advocacia, o Twitter é uma rede social de interação direta com a sua audiência. Raramente alguém vai entrar na sua página de perfil para verificar as suas informações, por isso a maneira como você interage é muito importante para o sucesso da sua estratégia. Conteúdo de boa qualidade continua sendo a base para qualquer estratégia de comunicação, mas, no Twitter, existem outras preocupações. Principais pontos a serem considerados para usar o Twitter a seu favor.

  1. Siga quem te segue e preste atenção
    Uma das melhores maneiras de saber o que interessa para a sua rede é segui-la e monitorar a conversa. Assim fica mais fácil entender quais são os assuntos que podem gerar engajamento. Também é recomendável seguir os seus concorrentes.
  2. Pense em servir o seu público primeiro e seja um curador
    O próprio Twitter orienta que 80% dos seus tuítes busquem promover interações com seus seguidores (favoritos, retuítes e menções), por meio de conteúdo que os engaje, e 20% sejam ações mais diretas que peçam para eles clicarem em um link ou irem até o seu site, por exemplo.
  3. Recursos visuais são importantes, mas não são tudo
    Assim como na maioria das redes sociais, as imagens e conteúdos em vídeo geralmente geram maior engajamento do público no Twitter. No entanto, pelo fato de a rede prezar por mensagens curtas (até 280 caracteres) e estimular conversas, nem sempre um recurso visual pode ser a melhor solução. Uma das dicas do próprio Twitter é: “não tenha medo de fazer postagens apenas com texto”.
  4. Participe da conversa
    Além de divulgar informações, é importante fazer parte da conversa que já está acontecendo na rede. Consulte os trending topics (rankings dos principais assuntos em discussão no Twitter) para verificar se existe alguma discussão popular da qual você pode participar.
  5. Divulgue seu conteúdo mais de uma vez
    Se você postar algo importante pela manhã, apenas uma parcela dos seus seguidores será atingida. Fale de eventos importantes, conteúdos relevantes e outras informações de destaque várias vezes para ampliar o seu alcance.

Instagram: a rede mais engajada

Enquanto redes sociais como o Facebook registraram queda progressiva no seu alcance nos últimos anos e, consequentemente, redução expressiva na interação dos usuários com o conteúdo publicado, o Instagram permanece como líder absoluto no quesito de engajamento entre as principais plataformas. A rede de divulgação de imagens conta com um público mais jovem e, em 2018, chegou a 1 bilhão de usuários em todo o mundo (cerca de 44% da audiência do Facebook).

Dito isso, escritórios de advocacia e advogados precisam avaliar com atenção as vantagens e desvantagens da rede antes de criar um perfil oficial no Instagram. Enquanto em plataformas como Facebook e Twitter é possível divulgar conteúdos de diversos formatos com relativo sucesso, para obter êxito no Instagram, é preciso um pouco mais de planejamento para definir com antecedência que tipo de imagens e vídeos serão publicados.

Prós e contras do Instagram para escritórios de advocacia e advogados

Razões para um advogado usar o Instagram

  • É a rede com o maior engajamento entre as principais redes sociais.
  • Conta com um público mais jovem que o Facebook.
  • Pode ajudar a projetar uma imagem de modernidade.
  • Pode ser muito útil para destacar a cultura interna e os valores do seu escritório.
  • Pode ser muito mais útil do que outras redes para engajar sua equipe.

Quando um advogado não deve usar o Instagram?

  • Não tenho como produzir imagens de qualidade para publicar.
  • Não quero expor meus sócios e equipe, sua rotina ou ambiente de trabalho.
  • Estou preocupado com o fato de minha marca poder ser afetada negativamente por estar no Instagram.
  • Não tenho clareza em relação ao público que quero atingir no Instagram.

Dicas para advogados no Instagram

O Instagram é uma rede de compartilhamento de imagens e conta com altos índices de engajamento na comparação com o Facebook e Twitter. Também é uma rede menos saturada e uma boa opção para atingir uma audiência mais jovem. Principais pontos com os quais você precisa se preocupar para garantir uma presença adequada e focada no Instagram.

  1. Use um perfil comercial
    Em 2016, o Instagram lançou perfis para empresas na sua plataforma que apresentam duas principais vantagens: acesso a dados sobre o desempenho do seu perfil e posts e a opção de adicionar um botão de contato ao perfil.
  2. Conte histórias
    Uma estratégia já tradicional utilizada por empresas no Instagram é contar uma pequena história ao invés de simplesmente legendar a foto.
  3. Estabeleça um padrão de qualidade elevado
    Sem imagens interessantes e produzidas com um mínimo padrão técnico, nenhum perfil do Instagram vai para a frente. Enquanto, em perfis pessoais, eventuais fotos escuras ou desfocadas podem não ser uma preocupação, no canal oficial do seu escritório de advocacia, podem causar uma má impressão.
  4. Poste fotos com filtro
    O Instagram conta com dezenas de filtros que podem ser aplicados às suas imagens.
  5. Use hashtags
    O uso de hashtags (expressões identificadas pelo #) é uma maneira eficaz para ajudar quem está no Instagram a encontrar suas fotos. É possível inserir até 30 em um post, mas o recomendado é atuar com moderação.
  6. Use a sua “bio” para incluir links
    Links postados nas legendas de fotos do Instagram não são clicáveis. Para contornar essa questão, muitos perfis colam os links mais recentes na sua bio (que é a descrição localizada na página principal do seu perfil, onde os links são clicáveis) e sugerem que o leitor siga até lá para acessar o conteúdo completo ou continuar lendo.

LinkedIn: a rede que todo advogado tem que estar

Com mais de 35 milhões de usuários no Brasil, o LinkedIn é uma rede voltada para profissionais que querem compartilhar conteúdos relacionados à sua área de atuação, buscar recolocação e se relacionar com outras pessoas e empresas de áreas correlatas. A audiência da rede é altamente qualificada e é possível identificar imediatamente os cargos e empresas de quem está interagindo com seus conteúdos. Por essas razões, é altamente recomendado que advogados mantenham um perfil atualizado e completo na rede.

O LinkedIn permite a criação de perfis para profissionais e páginas para empresas, que podem publicar conteúdos e vincular os seus sócios e colaboradores. A rede composta pela página do seu escritório de advocacia e pelos advogados é uma ferramenta poderosa para distribuir conteúdos e engajar pessoas interessadas na sua área de atuação.

Prós e contras do LinkedIn para escritórios de advocacia e advogados

Razões para um advogado usar o Linkedin

  • Rede profissional onde o propósito é falar sobre negócios.
  • Facilidade de segmentar públicos por atuação profissional e cargos.
  • Grupos de discussão focados e bastante úteis para divulgar conteúdos profissionais.
  • Pode ser usado como um gerador de tráfego para o seu site.

Por que um advogado não deve usar o Linkedin?

  • Nem todos os contatos que você fizer no LinkedIn serão proveitosos. Muitas outras pessoas e empresas também usam a rede para fazer marketing e vender produtos e serviços.

Dicas para advogados no LinkedIn

Ao contrário das outras redes sociais analisadas neste guia, que permitem a criação de perfis “pessoais”, o LinkedIn conta apenas com perfis profissionais. Por isso é esperado que os escritórios de advocacia tenham um interesse nos perfis de seus advogados outros colaboradores. É bastante comum que os perfis de sócios e principais executivos sejam administrados como parte da estratégia de marketing jurídico do escritório de advocacia. Principais orientações para construir uma presença eficiente no LinkedIn:

  1. Complete a sua página
    Pode parecer óbvio, mas muitos escritórios não preenchem todas as informações de sua página oficial no LinkedIn. Segundo dados da própria rede, páginas completas recebem cerca de 30% mais visitas porque são mais fáceis de serem encontradas pelos usuários.
  2. Crie a sua rede e vincule seus advogados à página de seu escritório
    Para maximizar o alcance do LinkedIn, é importante que ao menos os principais advogados mantenham perfis atualizados na rede, devidamente vinculadas à página do escritório de advocacia.
  3. Promova seus influenciadores e seja promovido por eles
    As pessoas tendem a seguir outras pessoas no LinkedIn muito mais do que empresas. Por isso é importante que advogados compartilhem, comentem e divulguem o conteúdo publicado pela página oficial do seu escritório de advocacia.
  4. Lembre-se de que está falando com outros advogados
    Por ser uma rede exclusivamente profissional, o nível de conteúdo divulgado no LinkedIn é mais alto do que nas outras redes sociais analisadas neste guia. Lembre-se de que você estará falando, em muitos momentos, para pares que podem ser especialistas no assunto em questão.
  5. Participe de grupos de interesse
    Outro recurso útil do LinkedIn são os grupos de discussão, normalmente segmentados por tópico ou área de atuação dos membros. Eles são um recurso importante para atingir um público específico que já tem interesse no seu conteúdo.
  6. Prestigie seus pares e colegas
    Reconhecer, congratular e promover conteúdos de qualidade publicados por outras pessoas e outros escritórios de advocacia são boas estratégias para interagir com a sua comunidade e criar vínculos.
  7. Acompanhe as métricas e saiba o que está funcionando
    As páginas para empresas e perfis profissionais do LinkedIn contam com uma página de métricas própria que ajuda a acompanhar a evolução e o perfil dos seus seguidores.

YouTube: para quem pretende investir em vídeos

Se a sua estratégia de marketing jurídico prevê a produção de vídeos originais com alguma regularidade, o YouTube é a primeira rede social para vídeos com a qual você precisa se preocupar. Com quase 2 bilhões de usuários mensais em todo o mundo, é, de longe, a maior rede para conteúdo em vídeo.

Caso a produção de vídeos não seja uma prioridade para seu escritório de advocacia, é importante avaliar se faz sentido criar um canal no YouTube. Existem muitas outras plataformas para distribuir conteúdos esporádicos em vídeo ou fazer transmissões ao vivo de forma eficiente, incluindo o Facebook, Instagram e o seu site, e manter um canal que não é atualizado pode gerar uma má impressão.

Caso a produção de vídeos não seja uma prioridade para seu escritório de advocacia, é importante avaliar se faz sentido criar um canal no YouTube.

Prós e contras do YouTube para escritórios de advocacia e advogados

Razões para um advogado usar o Youtube

  • Principal rede para divulgar conteúdos em vídeo.
  • Muito útil para materiais educativos, treinamentos e conteúdos similares.
  • Pode ser utilizada como uma plataforma para transmissões ao vivo.
  • O YouTube é o segundo buscador mais popular da internet, atrás apenas do Google.

Quando um advogado não deve usar o Youtube?

  • Não produzo vídeos com regularidade.
  • Não tenho recursos para produzir vídeos de qualidade.

Dicas para advogados no YouTube

O YouTube é o melhor local para divulgar vídeos não apenas em razão da sua enorme audiência mas também porque propicia a mais rápida indexação no Google. Para o seu conteúdo ser encontrado no buscador, o YouTube é uma opção significativamente mais eficiente que o Facebook ou o seu próprio site. Principais estratégias para criar um canal relevante no YouTube.

  1. Crie um canal para seu escritório de advocacia
    O YouTube permite criar canais de usuários e canais de empresas. Prefira a segunda opção para contar com mais funcionalidade e facilitar a administração da sua conta.
  2. Crie um canal no YouTube e não um depósito
    Um dos desafios mais comuns para um canal no YouTube é manter um ritmo consistente de postagem. Evite postar vários vídeos de uma vez e depois passar períodos longos sem subir conteúdo. Outra estratégia que raramente produz resultados é usar o seu canal para reproduzir entrevistas concedidas à TV ou conteúdo em vídeo criado para outros tipos de plataformas.
  3. Otimize os seus vídeos para o Google
    Assim como o conteúdo que você publica em seu blog, é importante que seus vídeos no YouTube sejam adequadamente indexados pelo Google. Algumas ações básicas são escolher um título relevante com as palavras-chave utilizadas pela comunidade para o tema em questão, produzir uma imagem de destaque (thumbnail) chamativa e informativa para seu vídeo, além de produzir uma descrição com termos que o seu público provavelmente vai procurar.
  4. Peça para as pessoas se inscreverem no seu canal
    Uma das maneiras mais eficientes de começar a construir uma audiência no YouTube é lembrar e pedir para as pessoas se inscreverem no seu canal. Por isso até os mais bem sucedidos youtubers ainda usam a estratégia. Na medida do possível, faça o convite em todos os vídeos que postar.
  5. Lembre-se da regra dos 15 segundos
    Estudos mostram que internautas normalmente decidem se vão assistir a um vídeo até o fim nos 10 a 15 primeiros segundos. Por isso é recomendado usar vinhetas curtas e ir direto ao ponto.

Conclusão

O desafio para advogados e escritórios de advocacia nas redes sociais é enorme. Definir, encontrar e cultivar o seu público com conteúdo relevante que gere engajamento não é uma tarefa banal.

O planejamento não serve apenas para aumentar as chances de acertar, mas também para evitar errar. Por exigências de compliance, grandes empresas vasculham as redes sociais de escritórios e até de seus sócios em busca de informações que possam levar a questionamentos de natureza legal ou ética. Tudo que é publicado pode e será usado contra você.

Então, é melhor ficar de fora? Não é bem assim. Clientes usam a internet e as redes sociais para fazer pesquisas e saber mais sobre seus prestadores de serviços. Além do mais, ouvimos por aí que “todo mundo está nas redes sociais”, ficar de fora pode transmitir uma ideia inadequada.

A conclusão é a seguinte: escritórios de advocacia de todos os tamanhos e advogados devem ter uma presença em redes sociais compatível com seus objetivos, e, para isso, é necessário um bom planejamento.

Cada escritório de advocacia precisa montar uma estratégia que funcione para o seu caso específico, mas o que vale para todos é que o trabalho de relacionamento tem que ser contínuo. Ao utilizar estratégias de marketing jurídico e comunicação digital para promover a sua banca, você estará constantemente introduzindo novas pessoas em sua rede e cultivando um relacionamento com aquelas que já estão nela.

Fechar um novo negócio continua sendo fruto do trabalho do advogado que conta com a sua rede de contatos, recomendações e tem como referência a excelência do seu trabalho. O que o marketing jurídico pode fazer é trazer mais pessoas para essa rede, de maneira mais rápida e eficiente, sempre respeitando o código de ética da OAB.

Somos uma das maiores agências do Brasil especializada em marketing digital para advogados e criamos uma assistente virtual que é otimizada para atrair clientes online, realizar agendamentos, enviar lembretes das reuniões e ainda receber pagamentos dos seus clientes de forma automatizada dentro do seu site. Se quiser conversar mais sobre marketing para advogados entre em contato com a telejud.

Receba gratuitamente nossos artigos

Após se cadastrar você poderá receber informações, notificações e eventualmente e-mails com nossos conteúdos e ofertas relevantes.

* Preenchimento Obrigatório
Whatsapp